sexta-feira, 9 de abril de 2010

Especial: Video Games VS. Religião

Hey pessoal! Tudo certo com vocês?

Primeiramente peço desculpas por não ter postado muita coisa recentemente. Meu horário de serviço mudou, e a organização do meu tempo ainda está uma bagunça.
De qualquer forma, venho trazer o tão prometido especial, que há muito eu pretendia trazer. Após mudar de idéia sobre o tema, decidi postar sobre um assunto que é bem interessante. Sem mais delongas, vamos lá:


----------------------------------------------------------

Especial: Video Games VS. Religião





Tive a idéia de fazer uma coluna sobre este tema durante o feriado de Páscoa. Vou explicar o porquê.

Neste feriado prolongado que passou, viajei com minha família para uma chácara, para comemorar a Páscoa. E sabem como é, feriado, parentes, crianças... Como todo bom gamer, não pude deixar de levar meu Nintendo DS, preparado para enfrentar as horas de tédio que prometiam seguir.

Um viva aos portáteis, que nos salvam em tantas viagens de família ou festa de parentes chatos!

Acontece que alguns parentes da minha família freqüentam uma dessas igrejas que pregam que video games, animes, mangás, desenhos e afins não são coisas cristãs. Por mais que isso possa parecer um absurdo para alguns de nós, este tipo de condenação é muito comum no meio religioso.

Enfim, voltando à viagem, a soma de DS+Religiosos me causou umas situações um tanto quanto desconfortáveis.

Bastava me ver com o DS na mão, junto com meu recém adquirido Pokémon SoulSilver (que é muito bom, diga-se de passagem!) que uma das crianças passava e proclamava a frase que eu mais ouvi durante os quatro dias do feriado: "Pokémon não é de Jesus!"

Admito que até achei engraçado ouvir isso, ri por dentro nas primeiras cinco vezes. Mas nas quinhentas e sessenta vezes seguintes, isso começou a me causar um desconforto imenso, até que eu desisti e fui jogar Banco Imobiliário.

Deixando minha historinha de lado, quero parar com vocês para refletir um instante.

Primeiramente, não estou aqui para condenar a opção religiosa de ninguém, muito pelo contrário, respeito e muito qualquer que seja essa opção, sou contra preconceitos e acho que cada um tem o direito de acreditar no que bem entender, desde que seja feliz com isso. Porém, exijo que este respeito seja mútuo pois, assim como eu respeito a crença dos outros, quero que esses mesmos "outros" respeitem a minha.

Esta coluna não visa criticar de forma alguma a religião em si, pois eu mesmo nem sei ao certo qual é a religião que estes meus parentes seguem, mas sim mostrar minha indignação com o fato de eu ser obrigado a ouvir uma criança que não tem mais do que 5 anos de idade me dizer que Pokémon é coisa do capeta.


Em primeiro lugar, isto demonstra, indiscutivelmente, uma ignorância tremenda por parte dos pais. Sim, pois a criança não veio com essa idéia sozinha, até mesmo porque uma criança não tem nem a capacidade de diferenciar algo "de Deus" e algo "do Diabo". Esse conceito foi implementado na cabeça dela, provavelmente pelos pais. E quero deixar claro que não penso assim simplesmente por se tratar de Pokémon, mas digo pela cultura em geral, pois não é apenas "Pokémon" que é coisa do tinhoso, mas Zelda, Bakugan, Naruto (exemplos que eu ouvi durante a viagem), enfim, diversas outras coisas também são entendidas como diabólicas para estas pessoas.
Agora vamos parar e analisar: O que todos estes exemplos tem em comum?

Exatamente, os três são provenientes da cultura oriental, mais precisamente, da cultura japonesa.

Uma coisa que eu já percebi ao longo da minha vida como gamer, otaku e afins, é que a cultura japonesa é vista pelas pessoas como, na melhor das classificações, "coisa de outro mundo" ou "coisa de doido". E é aí que vemos o incrível preconceito que as pessoas têm com tudo e todos que possuem uma visão de mundo diferente da sua.

Obviamente, a cultura japonesa é infinitamente diferente da nossa, o que causa estranheza em muitos. Até aí nenhum problema, mas as complicações começam a aparecer quando as pessoas tratam essa cultura diferente como algo errado ou "do capeta", como na situação citada anteriormente.

Sinceramente, isso não demonstra nada além de ignorância e preconceito. Gostaria de entender o que faz estes religiosos fanáticos pensarem que eles são superiores a essas pessoas simplesmente por elas não terem o mesmo credo ou possuírem culturas completamente diferentes.

Religião é uma coisa muito boa, mas, assim como tudo na vida, nas medidas certas. Como nossas mães já cansaram de nos ensinar, "tudo que é demais faz mal", e com religião não é diferente. Assim como passar horas na frente da TV ou do vídeo game pode trazer problemas sérios aos seus olhos, fanatismo religioso pode trazer sérios problemas à sua mente. Você fica restrito a esse mundinho, com a mente fechada à culturas diferentes da sua.

E o problema se torna ainda mais grave quando falamos de uma criança, pois esta não é uma opção que ela fez, e quando ela se der conta de como isso é sem sentido (se um dia ela chegar a se dar conta disso, claro), talvez já seja tarde demais. Sua infância toda já foi perdida, e enquanto seus colegas de escola jogavam video game, batiam figurinhas do novo álbum do "insira-nome-do-anime-comercial-do-momento-aqui" e conversavam sobre o último episódio da trigésima quarta temporada de Pokémon, ele simplesmente ficou de lado olhando e tentando entender por quê ele não pode gostar daquilo.

Voltando agora para a minha história, se você achava que a hipocrisia e a falta de noção haviam acabados, esqueça, pois tem mais.

Muito me surpreendeu o fato de um dos pivetinhos que abominavam Pokémon também ter um DS, mais precisamente um DSi. Como se não bastasse, enquanto jogava Kirby, após o outro garoto dizer que aquele jogo "não era de Jesus", ele retruca: "Esse é sim! Olha como ele é bonitinho!"

Exatamente. Como se não bastasse a hipocrisia em condenar algo apenas por ser diferente, exceções são abertas para as coisas que lhes agradam. Vai entender...

Enfim, a intenção dessa postagem não é fazer com que vocês religiosos que lerem isso abandonem totalmente a religião, longe disso, mas sim pelo menos fazer com que reflitam um pouco sobre esses atos.

Vale lembrar novamente que a cultura japonesa é totalmente diferente da nossa, não é baseada nos mesmos princípios, não possui a mesma culinária e principalmente, não partilha da mesma religião. Mas, apesar de tudo isso, não é superior e nem inferior à nossa, apenas diferente.

E como aprendemos na escola, não devemos condenar o outro simplesmente por ser diferente.

Aliás, não devemos nem condenar os outros, como a própria bíblia nos ensina!


Enfim, o post acabou não saindo tão grande como eu imaginava, mas tudo bem. Acho que me expressei bem sobre o tema.

De qualquer maneira, só queria partilhar essa opinião minha com vocês. Se concordam, descordam, querem elogiar o texto, compartilhar experiências, deixar um recado, pedir dinheiro emprestado, me xingar, enfim, comentem! A opinião de vocês é sempre bem vinda!

Na falta de imagens com mais relação com o tema, ilustrei o post com alguns artworks legais do remake de Final Fantasy III para DS, pois é um jogo que eu estou jogando bastante ultimamente. Enfim, pode não ter muito a ver, mas quem liga?

See ya!

16 comentários:

Léo disse...

Parabéns pelo texto, está excelente!

Eu tive a sorte de nunca ter acontecido comigo o que aconteceu com você, mas conheço muita gente que é totalmente alienada pelos pais. Inclusive, eu tenho um colega que sempre foi proibido pelos pais de assistir animes como Dragon Ball, Cavaleiros do Zodiaco, Yu Yu Hakusho e por aí vai. Como eu tenho apenas 13 anos, eu e meus amigos sempre vamos na casa de alguém pra passar a tarde inteira jogando video game. Até aí tudo bem, só que esses dias atrás, o nosso colega "alienado" chamou uma galerinha pra passar a tarde inteira na casa dele na maior jogatina. Cheguei lá, percebi que eu fui o unico convidado a ter ido lá, ou seja, o resto da turma sabia que a jogatina ia dar errada. Mas, mesmo assim, ligamos o PlayStation 2 dele e começamos a jogar. Jogamos um pouco de NBA 2009 e um pouco de Need for Speed Most Wanted, só que aí, eu tive a ideia "iluminada" de jogar GTA San Andreas. Coloquei o CD e começamos a espalhar o caos na cidade. Com isso, o pai do "alienado" chegou no local onde a gente estava jogando e ficou lá, assistindo todo o show de mortes que o GTA San Andreas oferece. Nós continuamos a jogatina, quando derrepente o pai do garoto solta a frase do dia: "Igor, pra quantos anos este jogo é recomendado?". O garoto, como não queria mentir para o próprio pai, respondeu:"18 anos". Não deu outra! O pai do garoto imediatamente desligou o video game pela tomada, retirou o CD e soltou a seguinte frase:" Então você só vai jogar isso com 18 anos! Esses jogos só atraem coisas ruins para nossa família. Este jogo é algo totalmente feito para o mal". Depois do escandalo, eu não pensei duas vezes antes de sair daquela casa cheia de "alienados". Fui embora, e até hoje não me arrisco mais em colocar os pés naquela casa de loucos. O engraçado dessa história é que: o pai do garoto que protege tanto o filho de coisas demoniacos, acabou comprando um jogo totalmente violento, sendo que nem sabia sobre o que o jogo se tratava. É o que eu disse em um dos meu posts aqui do blog: as pessoas que tanto criticam os games, mal sabem o que é realmente os games! Essas pessoas que vêem o mal em tudo, mal sabem que o unico mal que tem são as próprias mentes deles mesmos.

Novamente, meus parabéns Doofie pelo post excelente!

P.S: No antepenúltimo parágrafo, está escrito PSOT em vez de POST.

P.S²: Será que tem como você me emprestar só 50 reais? rsrsrsrs

Doofie disse...

Obrigado pela dica, já arrumei!

Quanto ao que você disse, é verdade, as pessoas ficam tão preocupadas em encontrar a "maldade" em coisas como animes e games, e se esquecem de olhar ao seu redor.

Há coisas mais "influenciadoras" e perigosas muito mais próximas do que eles imaginam, coisas que influenciam no comportamento de seus filhos e filhas, mas eles tratam como algo "inocente".

Não conheço ninguém que saiu por aí matando os outros só porque jogou GTA, mas eu já perdi a conta de quatas meninas usavam roupas de biscate porque assistiam Rebelde.

Mike- disse...

gta gera violencia? morar numa favela sem dinhero e sem familia gera violencia,esse pais realmente tem q se tocar em algumas coisas D:

P.S: Será que tem como você me emprestar só 50 reais?²

Doofie disse...

Baaah, hipotequem suas propriedades. u_u

Fabio Henrique disse...

Ainda bem que os meus pais não tem esse negocio de proibir jogos, deichar jogar alguns jogos e broibir outros, eu acho isso muito idiota, e eles são envangelicos (como eu). Mais eu tenho um amigo que eu acho que os pais deles são meio retardados porque eles não deichão o muleke jogar GTA, mais deichao ele jogar Call of Duty, Medal of Honor, entre outros, ai eu não entendo. Acho que isso acontese porque já tiverão varias pessoas de cabeça fraca que sairão tentando imita o jogo, ai por isso achão que todas as pessoas que jogão jogos asim vão sair roubando e matando. ISSO É UMA BESTEIRA

gravem esse nome: Fabio Henrique Schmidt Rodrigues. Esse é o nome do proximo morador de Nova Yorck e tambem é o proximo Designer de Games BLZ :D

Art! disse...

Ficou mto bom o post/texto Doofie, Parabéns.

Ah, uma vez quando era aquela epoca de modinha de yugioh sabe? (Que todos tinham cartas de yugioh e etc) Eu lembro que eu fui pra casa de um amigo e levei meu deck pra eu e ele brincar. Ae ta, agente tava brincando ae do nada chega a vizinha dele e ve as cartas.Aew ja grita "Essas são as cartas du demonio que apareceu no show da fé?!" (Show da fe = programa religioso da Band) Ae eu comecei a ri e a guarda as minhas cartas com medo do que ela pudia fazer com elas.Aew qando eu guardo todas as cartas ela fala " me da suas cartas pra eu qeimar " ae eu falei que não ia entrega, ae ela falo " Ta, mas toma cuidado com essas cartas porque elas são do demonio ".Mas enfim, só porque um cara na tv falou que yugioh era do demonio a moça realmente acreditava que era, queria ate qeimar menhas cartas.

Kike :) disse...

muito bom o post :D

esse é um tema impossivel de discutir com alguem que faz parte dessa religião.

se os filhos dos fieis gastarem dinheiro com cartas, jogos, e videogames, não vai sobrar dinheiro pra os pastores EXPLORAREM OS PAIS!

então fica mais facil propagar que os tais entretenimentos são obras do tinhoso, capeta, satanás, lucifer etc...

TDiego. Oliver disse...

Se tem uma coisa que eu aprendi é a não discutir com fanáticos religiosos. acredite, eu sofro mto mais do q vc nesse assunto, pq sou rockeiro e a todo momento tenho que ouvir que banda x ou banda Y é demoníaca. É claro que tem aquelas que realmente são, mas não podemos generalizar, bandas como Metallica, Iron Maiden e outras de rock pesado (e até o Seu beatles entra nessa)são taxadas a todo momento e satanistas, mas qdo vc ouve e conehce da banda percebe q não tem nada demais.

Mas voltando aos games, outro dia eu tava viajando pra casa do meu avô no Paraná e levei meu gameboy advanced SP que eu tinha na época. Qdo lá estava eu jogando, chega um tio meu e pergunta: " oq é que vc tá jogando aí?" e eu disse: " Pokémon", aí ele: "Pokemon?" aí eu:´"Éh". Depois disso ele saiu da sala e alguns instantes depois voltou com mó cara de bravo e disse: " Toma cuidado que isso faz mal pra mente" e eu apenas ignorei.

Sabe é lamentável que existam pessoas ignorantes assim

TDiego. Oliver disse...

Em relação ao seu texto, eu tbm gostei mto, mas queria falar a respeito de alguns pontos q vc tocou!

Sabe maan, a igreja (principalmente a evangélica) não condena esses games por serem de uma cultura totalmente diferente, a japonesa. na verdade esse julgamento completamente precipitado se dá por conta do que está escrito na palavra de Deus. É algo muito complexo de se explicar, mas resumindo: Nós somos filhos de Deus e estamos aqui no mundo para absover a sua palavra e seguir no caminho certo, o de Deus. Contudo, o mundo é um lugar ruim e o inimigo ( O Diabo) tenta te desviar desse caminho, fazendo com que vc siga o lado negro da força, digamos assim. Traduzindo: Tudo desse mundo é coisa do Diabo (segundo eles até a igreja católica é)e devemos apenas seguir a palavra de Deus para sermos salvos e vivermos para sempre no paraíso qdo morrermos.Então, com algumas estratégias, o Diabo estaria tentando "estragar" a mente das pessoas, principalmente das crianças, que ainda não têm uma mente totalmente formada.

Resultado: tudo oq aparece nesse mundo é faz sucesso é coisa do capeta. Mas os caras são tão ignorantes, que não se dão nem o trabalho de conhecer essas coisas pra depois executarem um julgamento, só julgam pela aparência. Aí qdo aparece qualquer monstrinho ou qualquer animalzinho já é do capeta. Qdo um cantor faz sucesso, é porque ele fez pacto com o capeta. Qdo uma música fala de morte, é porque ela é do demônio. Mas aí é que tá, eles nem conhecem pra julgar e já dizia a bíblia: "não julgarais para não ser julgado, somente Deus tem o direito de julgar as pessoas"- algo mais ou menos assim.
E pelo jeito só não é pecado encher o bolso com o dinheiro dos fiéis ( e desde qdo Deus liga pra dinheiro??)

TDiego. Oliver disse...

É complicado cara, é complicado falar sobre esse assunto, principalmente porque estamos lidando com uma ignorância incrível que obedecem tudo oq o pastor fala. Só não é pecado torrar o seu salário botando no bolso da igreja. A palavra de Deus é muito misteriosa, cheia de enigmas, mas julgar sem conhecer é um erro ainda pior, até da vontade de rir. Mas sinceramente, eu parei de discutir esse assunto, porque não dá. Poderia passar a noite toda colocando argumentos contra essa prática preconceituosa, mas não dá.Só podemos oovir todas essas críticas lamentáveis e dar risada, pois além de ser engraçado é inconformante.

P.S: Sou cristão, tenho Jesus no coração e acredito mtoooooooo na palavra de Deus, mas não na do homem. O Homem modifica as coisas para o seu interesse próprio e fazem inúmeras pessoas acreditarem naquilo que ele diz por meio de argumentos que a primeira vista parecem ser convincentes, mas ~que não são nada reais. Enfim, cada a cada um ampliar a sua mente para novas idéias, sem preconceito e pelo menos ter o trabalho de conhecer um pouquinho antes de julgar e não só ficar acreditando em tudo aquilo que um humano diz. Só lembrando, não que tenha alguma coisa a ver com a igreja, mas só um exemplo: foi desse modo, com a manipulação de mentes que Hitler construiu sua ditadura, provocou uma guerra mundial e matou cerca de 6 milhões de Judeus inocentes.

Doofie disse...

Resumindo:

Para eles, tudo o que eles dizem é verdade. O resto, é mentira, e se você gostar, vai pro Inferno.

Pode parecer exagero, mas esse pessoal (pelo menos os familiares que eu citei) acham que se você não frequentar a igreja deles, NÃO TEM SALVAÇÃO.

Exatamente, se você não for da religião deles, vai direto pro Inferno.


Como eu disse no texto, acho que independentemente de ser cristão, evangélico, judeu, budista, viking, satanista, romano, egípcio, homossexual, sei lá, a religião que for, devemos respeitar a tudo e a todos.

Ninguém é melhor do que ninguém e isso é um fato, somos todos iguais e devemos ser tratados assim.

Giiiiiiiiiiiiiz disse...

Post excelente, Doo-chan! Gostei bastante!
Algumas pessoas hoje em dia, principalmente as das antigas, possuem a mente tão fechada e bloqueada que, mal vendo algo diferente de suas rotinas ou da sua cultura, achando estranho debocham, repugnam e desrespeitam sem mesmo conhecer. Isso é triste, rs. As pessoas se fecham nos seus mundinhos imaginários e acham que suas leis são as corretas. Efeito Hitler, rs. E quando falamos de religião é um assunto mais sensível ainda.
Ninguém é melhor do que ninguém e todos merecem respeito. Todos somos humanos, apenas e isso nos torna iguais, independente da crença.

Concordo muito com a tua opinião e com o teu post. Se eu falar mais alguma coisa isto irá ficar redundante.
Por isso otakus são abençoados... Eles têm cultura e alguns têm mente aberta. Eu gosto muito de ser assim! \o/~

Anônimo disse...

Parabens pelo texto o/
Há um ditado que diz: "a
ignorância só traz felicidade"/hipócrito. A diferença cultural influência mesmo na opinião de um indivíduo, mas é absurdo impor isso a uma criança que nem ao menos sabe qual seria o lado "ruim" e nem o por quê disso. A problemática religiosa é a tomada de uma única verdade que sobressai as outras com carater radical -ideia obsoleta e sem fundamentos u_u/
Até entendo o poder destrutivo que
pode assumir um game, afinal, tem gnt q ñ sabe distinguir real do virtual D: Mas essa caracterizaçao do mal tbm marca bastante o gosto musical.Como você vai flar para um indivíduo:"Relaxa que Black Sabbath tem essas capas demoníacas mas vc nao vai pro inferno 8D" ou "Affz ¬¬ você não vai levar um castigo divino por ouvir a The number of the beast do Iron --' "; vai do discernimento de cada um -embora tem gnt que nao consegue dividir de fato o gosto com o que realmente acredita.
Por mim, cada um na sua e seja feliz, porém mostre os dois lados para ter um julgamento justo e nao precipitado e, acima de tudo, o respeito as diferenças.

Giiiiiiiiiiiiiz disse...

Uma vez eu assisti um filme, chamado "Sobrevivendo com Lobos". Nele, houve um comentário "Os judeus mataram Jesus". Quem assistiu ao filme todo, que se passa na WW2 e conseguir interpretar, vai perceber que a WW2 nada mais foi do que um conflito entre religiões. Hitler foi desumano, de fato, não apoio ele nem nada, mas eu concordo com as teorias dele. Mas Hitler só acreditava que o anticristo poderia ser um judeu. Nada mais.
É complicado à décima potência falar sobre este assunto xD~
Eu sou cristâ, batizada e crismada. Eu gosto de Jesus mas não sigo a Bíblia, como alguns falam. Não há como 'seguir' a Bíblia... Eu apenas tenho fé. Também não acredito em teorias absurdas como em "O Segredo", que até são cômicas, rs. Apenas tenho fé, uma fé inabalável. Não move montanhas mas ajuda a escalá-las. E sabe, eu não sou tão cabeça dura. Eu sei respeitar as crenças alheias. Todo ser humano é livre no pensamento e isso já é uma espécie de subordinação ensandecida e velada pela ignorância.
Foi muito foda aguentar minha família rir quando aquela novela, "Caminho das Índias" passava na rede glóbulo de televisão... A minha avó, principalmente, ria quando os personagens cultuavam seus deuses. Podia ser novela, mas ela debochava mesmo assim.
E quando eu assistia Advent Children, então? Ela dizia xD: Isso é violento, não vai te fazer mal?
Cara, minha avó reclama até quando eu acendo incenso ~: Ela diz que é dorga, rs. :B Por isso digo que é complicado viver com alguém das antigas. Minha avó tem a mente fechada deveras. xD

Igor Ferraz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Igor Ferraz disse...

Adorei seu texto, concordo com muitos de seus pontos de vista.

Pois é, já é de conhecimento geral a ignorância de muitos religiosos, meu primo mesmo (que nem é evangélico) queimou centenas de cartas de Yu-Gi-Oh influenciado por uma família de crentes que morava na nossa rua, segundo eles, "é coisa do capeta".

Eu até tento rir com essas coisas, mas é difícil porque sempre vem à minha mente: "céus, são seres humanos como eu, como podem ser tão atrasados intelectualmente, é um insulto à evolução da espécie".

Enfim, parabéns, só nos resta tentar conscientizar as pessoas que nada tem a ver o c* com as calças ou apenas torcer para que pensamentos assim desapareçam com o tempo.