sábado, 8 de maio de 2010

OFF: Saída!

Bem, vou direto ao assunto e sem enrolação. Eu to saindo da PowerUp! porque minha rotina está muito apertada, e se eu continuar aqui, não vou ter tempo algum para lazer. Sem contar que se eu não tiver esse momento de lazer, quando eu vou ter? Quando eu crescer e ter que trabalhar? Só lembrando que eu tenho apenas 13 anos. Quando eu entrei aqui, estava um pouco cansado de postar, só que ainda tinha até um certo animo. Mas, esse animo acabou por alguns motivos pessoais.

É só isso. Como disse no começo, era sem enrrolação.

domingo, 2 de maio de 2010

OFF: Esclarecimento

Hey pessoal, tudo bem?

Em primeiro lugar peço desculpas pelo aparente abandono do blog ultimamente. Todos os membros estão cheio de tarefas em nossa vida pessoal, e como o blog não é algo que traga nenhum retorno financeiro ou algo do tipo (e, convenhamos, não tem muitos acessos), acaba tendo que ser deixado de lado um pouco.

Mas, não se preocupem, pois essa semana (pelo menos eu) tentarei ao máximo trazer juma nova postagem de peso para o blog.

também tenho que dizer pra vocês que meu nick mudou. Não utilizo mais o nick de Doofie, mas agora vocês podem me chamar de Matt. :D

Bom pessoal, é isso. Peço desculpas em nome de todos da equipe.

See ya!

domingo, 25 de abril de 2010

Especial: Coluna do Sky: Porque o céu é o limite!

Tudo bem, gente? Então, em minha primeira coluna, falei sobre os impostos, e falei como eles contribuíam para elevar o preço do videogame no Brasil. Venho nessa pequena coluna, demonstrar na prática como fica o imposto de um console, e o alvo da vez, é o Wii.




Pesquisei um poco sobre isso, pertubei pessoas que entendiam sobre isso e finalmente, obtive como fazer os cálculos. Vamos fazer uns pequenos cálculos galera....

Vamos adotar o antigo preço do Wii, 250 dólares. Seu preço convertido para Real, HOJE, seria 439,75 Reais, vamo arredondar para 450 reais para ficar mais fácil.


. O primeiro imposto é o de importação, que é 'apenas' 20%, logo: 450 + 90 = 540 reais.

. Logo após essa ridícula taxação, vem um imposto de 50% de produto industrializado, mas são 50% do preço do produto já com o primeiro imposto! Logo, 540 +270 = 810 reais.

.Então, vem PIS/Coffins (CONTRIBUIÇÃO PARA O FINANCIAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL - Coffins e PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO SOCIAL- PIS) Com 9,25% (arredondarei para 10%) sobre o preço inicial > 450 reais: 810 + 45 = 855 reais

. Já que somos ricos, ainda vem o imposto sobre circulação de produto, algo em torno de 25%-18%, sobre o preço de cima. Vamos arredondar para 25%: 855 + 215= 1025

Bem legal, né? É incrível como um aparelho que deveria custar 450 reais ( não se esqueça,e sse é o preço de VENDA no EUA, com os impostos deles já pago + lucro do comerciante) apenas para vir para o Brasil custa 1025 reais.

Fora o lucro do comerciante, que normalmente tem. Esse é o Brasil, e você comprando jogos piratas apenas diz que está de acordo com esses pequenos impostos. Façam sua parte =)

Até a próxima =)

terça-feira, 20 de abril de 2010

Review: Rock Band 2 (Wii)

Review: Rock Band 2 (2008, Nintendo Wii)



Como vocês podem perceber, sou um grande fã de jogos rítmicos/musicais. Aliando isso ao meu gosto musical mais voltado ao bom e velho Classic Rock, posso afirmar que sempre fui um fã da série Guitar Hero.

Isto é, até o momento em que eu conheci a franquia Rock Band (que, convenhamos, é muito menos difundida do que a série Guitar Hero), e percebi como estes jogos da Harmonix são mais bem feitos do que os games dos heróis da guitarra. Possuindo um visual com um acabamento infinitamente melhor, um design mais atraente, uma playlist mais variada, uma jogabilidade mais precisa, entre tantas outras qualidades, é impossível não gostar de Rock Band.

Confesso que depois que conheci melhor esta "nova" franquia, os jogos da série Guitar Hero perderam muito o prestígio que eu tinha por eles. Veja bem, estamos falando de um jogo que foi lançado em 2008, mas que possui um gráfico praticamente igual no Wii e nos consoles HD, coisa que o novo Guitar Hero 5 não faz nem de longe. Ok, temos uma animação um pouco mais precária aqui e acolá, um pouco de cabelo atravessando os personagens mas até aí, nada chega a atrapalhar de fato a diversão que o game proporciona, principalmente quando temos a oportunidade de ver uma animação tão precisa de notas e baquetadas, só ficando atrás mesmo de The Beatles: Rock Band que, por sinal, é da mesma série. Não me espanta que o jogo do quarteto de Liverpool seja o melhor game musical já feito. O visual tem um nível de detalhes satisfatório, tanto dos personagens quanto dos cenários, que por sua vez, são muitos, e todos bem feitos.

Deixando um pouco as comparações de lado (quero esclarecer que em momento algum quero desmerecer a série Guitar Hero, mas comparações são inevitáveis), vamos falar um pouco da playlist do game em questão. São 84 músicas de gêneros completamente diferentes, indo de Classic Rock ao Metal, passando pelo Emo e o Pop-Rock. Ponto para a Harmonix, que percebeu que nem todos os fãs de jogos musicais necessariamente são atraídos por músicas mais pesadas. Isso trás tanto jogadores que curtem essas musicais mais pauleiras quanto pessoas que gostam de umas músicas mais calmas. Além disso, muitas bandas que estão presentes no game não são muito famosas, o que nos incentiva a conhecer novas bandas.

Quanto à jogabilidade, não há muita coisa a se dizer. Rock Band (o primeiro) reinventou este estilo de jogo adicionando a bateria e o microfone à fórmula dos primeiros Guitar Hero (que, para quem não sabe, na época também eram desenvolvidos pela Harmonix), o que foi uma adição muito boa. Para alguns, um ponto negativo do jogo é a obrigatoriedade de um periférico para desfrutar totalmente do game, mas eu particularmente não vejo muitos problemas nisso, ainda mais no Wii (quem já tentou jogar Guitar Hero III no WiiMote sabe do que estou falando). Os periféricos possuem uma precisão muito boa, além de um acabamento muito bem feito (no entanto, confesso que utilizo os instrumentos que vieram no meu The Beatles: Rock Band Special Venue Edition. Beatles eternos!).

Um ponto positivo que não posso deixar de citar é o microfone. A precisão do vocal é muito boa, infinitamente superior à da série Guitar Hero, que chega a ser frustrante. Aqui, é muito difícil você errar alguma coisa por conta de problemas no game e não por falta de habilidade. Novamente, só fica atrás do game do Fab Four, mas isso não importa, sendo que Rock Band 2 veio antes.

Uma característica dessa franquia que eu acho muito positiva é a escassez de títulos. Exatamente, não há muitos jogos da série disponíveis, pois a maioria das inclusões de faixas é feita por meio de DLCs, sendo boa parte deles pagos. São apenas três títulos da série até agora, sendo eles Rock Band, Rock Band 2 e The Beatles: Rock Band. Além desses, Green Day: Rock Band e Rock Band 3 já foram anunciados. Isso faz com que o jogador enjoe menos da série, e não torna necessário que você compre um jogo novo a cada seis meses, um sinal óbvio de que uma franquia se tornou um caça-níqueis.

Como é de conhecimento geral, jogos desse gênero possuem um nível de diversão altíssimo, e um fator replay quase infinito (para os fãs do estilo, claro). Mesmo sabendo disso, a Harmonix decidiu incluir um modo de criação de personagens que, sinceramente, é muito completo. Apesar de não podermos customizar muito a face dos nossos rockstars, a enorme gama de roupas e instrumentos disponíveis para compra mais do que compensa por isso. Na hora de criar seu personagem, tudo é muito fácil e intuitivo, e com tantos modelitos disponíveis, é muito difícil encontrarmos dois personagens iguais, a não ser que isso seja proposital. Além de escolher as roupas, instrumentos e acessórios, ainda é possível mudar a cor de tudo isso, tornando a customização ainda maior. Ver sua banda toda com roupas combinando é algo que definitivamente é legal.

O título conta com vários modos de jogo. Para os que querem habilitar músicas (pois neste game, não temos todas as canções abertas desde o começo) e ver sua banda atingir níveis de fama incríveis, o modo World Tour é ideal. Para os que curtem um desafio, há todo um modo para isso também, com recompensas e tudo o que se tem direito. E, claro, para os que querem curtir com os amigos, temos diversos modos multiplayer online e offline. É possível até mesmo incluir alguém da rede na sua banda, para que você continue completando os desafios, ou você mesmo entrar na banda de alguém e ajudá-los.

Assim como em The Beatles: Rock Band, o online é perfeito, e qualquer slowdown é muito raro. O jogo flui normalmente, e nem mesmo o loading demora mais para acontecer; parece até que estamos jogando em multiplayer local. Porém, falando em online, não posso deixar de comentar algo que pode ser muito frustrante para alguns. Sempre que você tentar jogar em qualquer modalidade, mesmo que seja sozinho, o jogo vai tentar se conectar com a internet. E, caso você não tenha acesso à net, vai demorar bastante até que o jogo diga que não conseguiu se conectar. Isso pode atrasar a jogatina, e chega a causar frustrações às vezes.

Ainda falando sobre o modo online, vale dar destaque à algo muito legal que a Harmonix preparou para os jogadores. Quando você se conecta à internet pela primeira vez, você ganha, além do seu Friend Code, um código chamado Web Code. Esse código deve ser incluído junto com o número do seu Wii (você pode consultá-lo no menu do video game) no próprio site do Rock Band, e ter acesso à todos os dados da sua conta no site, como suas bandas, seus personagens, etc. E além disso, é possível criar imagens com seus personagens, fazer várias cenas diferentes, fazer produtos como camisetas, bottons, e até mesmo mandar fazer um modelo em miniatura do seu rockstar, com instrumentos e tudo. Ponto positivo para a Harmonix pela interatividade!

Não importa que tipo de jogador você é. Seja casual ou hardcore, metaleiro ou rockeiro, Rock Band 2 foi feito para você. E se você não conhece a série Rock Band ainda, fica a dica, vale muito a pena.

Avaliação:
Gráficos:
8
Jogabilidade: 10
Som: 10
Diversão: 9
Replay: 9,5
Enredo: 7
-
Nota final: 9
-
Comentário final: Como fã de jogos rítmicos/musicais, Rock Band 2 é um dos melhores que já tive a chance de jogar. Elevando o gênero a um patamar em que Guitar Hero jamais esteve, Rock Band inovou o estilo com mudanças muito bem-vindas.

Pontos fortes: Variedade de músicas grande, jogabilidade precisa e desafio na medida certa

Pontos fracos: O jogo tenta se conectar com a internet o tempo todo, o que pode ser chato; perder fãs por sair das playlists é algo que atrapalha também

Vídeo:




--------------------

Pessoal, desculpem a falta de imagens, devido a alguns problemas vou ter que adicioná-las mais tarde.


See ya!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Notícia: Novidades de Pokémon e Super Mario Galaxy 2!

Fala pessoal, como estão vocês?

Sem mais delongas, vamos às notícias.

---------------------------------------------

Novas informações de Pokémon Black & White!

Alguns detalhes sobre as novas versões foram revelados pela revista Famitsu. Confira:

* Você poderá andar em caminhos elevados em certas áreas;
* Um lugar nas cidades terá os três centros: PokéMart, Pokémon Center e Global Terminal em apenas um prédio;
* Uma câmera dinâmica mudará o ângulo durante as lutas;
* Sombras realistas;
* "Como você pode ver nas imagens, a aventura de Pokémon Black & White acontece em uma área diferente em relação à natureza dos outros jogos. A nova história que acontece nesse lugar, assim como os novos Pokémon que encontrará, permitirá que os fãs antigos e pessoas que nunca jogaram outros games apreciem a experiência sem preconceitos" - representante da Pokémon Company.

Segundo o teaser-site dos games, o jogo será lançado para o Nintendo DS mesmo. No entanto, alguns fãs especulam que talvez o game tenha funções exclusivas do Nintendo 3DS (mais ou menos como Pokémon Gold & Silver que, apesar de funcionarem normalmente no Game Boy, possuíam algumas exclusividades que só apareciam no Game Boy Color). Igualmente, a terceira versão dessa quinta geração deve ser exclusiva do novo portátil, assim como foi com os já citados antigos jogos da segunda geração.

Vale lembrar que nada disso é fato concreto, são apenas rumores que circulam a internet, mas nunca se sabe quais podem se tornar verdade.

Além disso, as imagens das scans postadas anteriormente já circulam numa resolução melhor. Confira:








Por enquanto, isso é tudo que se sabe sobre a quinta geração de Pokémon. Aguardem, pois qualquer novidade será postada aqui!

---------------------------------------------

Novos detalhes e novo vídeo de Super Mario Galaxy 2!

O próximo jogo do encanador mais famoso do mundo está cada vez mais próximo de ser lançado, e, com isso, novas informações podem aparecer à qualquer momento.

Observando a abertura do jogo, podemos notar os seguintes detalhes:

- Assim como de costume, o jogo começa quando Mario recebe uma carta de Peach, que diz:

"Querido Mario,
Você gostaria de ver as estrelas cadentes, enquanto comemos bolo?
Esperarei por você no castelo.
Peach."

- Stardust está caíndo sobre o Mushroom Kingdom de novo
- Peach convida Mario para assistirem
- Mario vê uma luz misteriosa enquanto está indo, e encontra uma pequena estrela perdida (Baby Chico)
- Baby Chico segue Mario até o castelo
- Baby Chico pode usar um Spin Attack para derrotar os inimigos

Para quem não sabe, Baby Chico é o nome japonês da estrela Luma, que já estava presente no primeiro jogo.

Além disso, um novo vídeo foi divulgado, e você pode conferí-lo clicando aqui.

---------------------------------------------

Taiko no Tatsujin vai ganhar nova versão de DS!

Ok, sei que a maioria de vocês nunca nem ouviu falar dessa série aqui no ocidente, mas eu explico.

Taiko no Tatsujin é uma franquia de jogos musicais, no estilo Guitar Hero ou Rock Band, em que o jogador toca um Taiko, que é uma espécie de tambor japonês. O jogo faz um sucesso enorme no Japão, e tem duas versões para o Wii e duas para o DS.

A terceira versão anunciada para o portátil da Nintendo deverá se chamar Taiko no Tatsujin DS Dororon! Youkai Daikessen, e contém mais de 50 músicas de estilos variados, incluíndo J-Pop, músicas de animes, músicas clássicas, temas de jogos, etc.

O jogo deve aparecer pelas terras nipônicas no dia primeiro de julho, e virá com uma stylus especial.

No entanto, pode ter certeza de que uma versão ocidental é praticamente impossível.

Eu, como um dos cinco fãs dessa série aqui desse lado do mundo, espero anciosamente por esse jogaço do DS! Confira algumas imagens:





Fontes:
Wii Brasil
Nintendo Everything

Bom pessoal, por hora é só.

See ya!

terça-feira, 13 de abril de 2010

Especial: Coluna do Sky: Porque o céu é o limite!

Eae gente, tudo bem? Pois é gente, voltei a escrever (e mesmo assim atrasado, esse texto deveria ter saído segunda) e dessa vez, falarei sobre um fato curioso: o gosto 'gamer' . Perdoe-me a alguns, pois essa coluna ficará um pouco restrita, falarei sobre algo que muitos têm em comum, mas nem todos....

Já perceberam quantos amigos tem algum gosto em comum com os otakus (fãs de cultua japonesa - animes, mangás, j-pop etc)? É incrível a semelhança entre esses fãs, muitos tem gostos em comum, tanto os otakus como os gamers gostam de várias atividades relacionadas. Não é raro otakus gostarem de video-game e vice versa. Quantos aqui não gostam de anime? Ouso dizer que tem alguns até que baixam essas séries pela internet... A explicação disso? Não sei, e nem quero saber, fato é que existe uma semelhança, e é até legal isso, ampliar seus contatos, suas conversas não se restringirem apenas sobre jogos com seus amigos... O estranho é que muitas pessoas começaram pesquisando sobre uma coisa e acabou virando fã de outra. Eu mesmo, há uns 5 anos atrás, lia uma revista chamada 'Anime>Do', e foi ela que acabou me fazendo pesquisar, me relacionar na internet com as pessoas que tinham um mesmo gosto em comum que isso e adivinha só... cá estou eu escrevendo em um site sobre games! Fato é que nunca fui tão fã de animes não, acho que como era um dos meus (pequenos) passatempos na época e também o mais 'acessível' entre as pessoas (convenhamos, no mundo 'real' é muito mais fácil você encontrar alguém que goste de falar sobre cultura japonesa do que jogos, todos gostavam de Samuai X, Cavaleiros do Zodíaco, Dragon Ball...) então acho que a cultura japonesa apenas serviu como um 'empurrãozinho' para eu começar a me relacionar com os outros, prefio muito mais falar de jogos do que sobre isso, então, ao entrar na internet, rapidamente parei de me interessar tanto na cultura japonesa e em pouquíssimo tempo já estava em vários fóruns e sites sobre games. Hoe em dia não vejo mais animes, apenas vejo os 'clássicos' da minha época e mesmo assim, apenas quando passa na TV em um horário flexível para mim. Claro, clássico é clássico, e como todo bom nerd, sempre gostarei de alguns programas japoneses que passavam na minha época (não, NÃO me refiro a Jaspion). Deixando a minha pessoa de lado, ainda acho que essa mescla é um senso comum na maioria dessas pessoas (tanto para os gamers quanto para os otakus) e que dificilmente deixará de existir. Um claro exemplo disso são os famosos eventos de anime/mangá, onde SEMPRE tem como um dos atrativos jogos eletrônicos e, não falo só de um não, jogos como Super Smash Bros., Fifa, Guitar Hero, Soul Calibur estão SEMPRE como um dos grandes atrativos, em que o próprio evento faz marketing em cima desses jogos e até rola premiações (alguns nem tão bons assim...). Peço desculpas aos que lerem isso e não tem essa relação, mas aposto que mesmo não tento vínculo algum com isso, tem algum amigo que tenha.

Em minha próxima coluna irei falar sobre um otro tema que gamers gostam ( segundo e último, prometo): o gosto musical.

Até a próxima galera =]

sábado, 10 de abril de 2010

Especial: Impostos




Eae gente, tudo bem? Desculpe a sumideira, mas com as provas e as chuvas aqui no RJ, eu sumi completamente da internet por uns tempos... Então, há (não tão) pouco tempo atrás, em minha coluna, falei sobre os impostos de games, e sobre como os gamers fazem (ou deveriam) fazer a parte deles contra a pirataria e os altos impostos. Coincidentemente, após algumas semanas, rolou o troféu GAMEWORLD, feito pela Editora Tambor (a mesma que faz as revistas EGW e Nintendo World) em que eles iniciaram um projeto de lei para diminuir os impostos dos games para os brasileiros! Se você reclama dos impostos, faça sua parte! Assine e ajude essa campanha de games para ela ir adiante e chegar até Brasília.

Aqui está o site: http://www.impostojustoparavideogames.com.br/

Entre nele e colabore! Parabéns a Tambor por essa ótima iniciativa e que tudo dê certo!

Notícia: Revelados os nomes dos novos jogos de Pokémon!

Finalmente foram anunciados os nomes das duas novas versões de Pokémon, que inaugurarão a quinta geração.

Intitulados "Black & White", os logos dos jogos já foram divulgados por meio de um teaser-site, e você pode conferí-las logo abaixo:



O site promete trazer novas informações sobre os jogos no dia 15 de abril. Além disso, como de costume, já vazaram scans da publicação japonesa CoroCoro, com algumas imagens dos futuros títulos, que prometem ser lançados para o DS ainda em 2010, pelo menos no Japão.

Confira as scans abaixo:







Além disso, novas informações prometem aparecer no programa japonês Pokémon Sunday.

E com o lançamento do 3DS já confirmado, será que as novas versões farão uso do novo portátil ou serão lançadas para o DS que já temos hoje?
Será uma exclusividade do DSi?

Essas dúvidas ficarão no ar por mais um tempo ainda, pois informações consistentes dos jogos ainda devem demorar um pouquinho para aparecer, e é difícil tirar qualquer conclusão das scans acima.

De qualquer forma, fique de olho, pois tudo o que for divulgado a respeito será postado aqui no PowerUp!

Fonte: Wii Brasil

See ya!

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Notícia: rumor diz que novo "Marvel vs Capcom" e "Silent Hill" estão sendo produzidos

Fala galerinha que acessa o blog, beleza?

Estou trazendo para vocês dois novos rumores sobre possíveis desenvolvimentos de alguns jogos. Um deles seria "Marvel vs Capcom 3", continuação da série Marvel vs Capcom que pertence a Konami. E o outro rumor fala de um possível novo jogo da série Silent Hill, a conhecida série de survival horror da Konami. Com vocês, os dois novos rumores:


Marvel vs. Capcom 3?

O site Team Spooky publicou em seu site que a Capcom estaria fazendo mais um game da série versus "Marvel vs. Capcom".

Ryôta Niitsuma, produtor do game "Tatsunoko vs. Capcom: Ultimate All-Stars", em uma entrevista ao site Kotaku, soltou a seguinte frase: "Eu adoraria fazer mais jogos da série versus, mais jogos do tipo 'Marvel vs. Capcom 2". Após isso, ele completou dizendo: "Há todas essas possibilidades funcionando com outras companhias, vendo o que podemos fazer com elas. Há tantos companhias de jogos que eu gostaria de trabalhar. Se as venda forem realmente boas você terá um anúncio ainda este ano". Essa suposta venda de que ele estaria dizendo é sobre a venda de "Tatsunoko vs. Capcom: Ultimate All-Stars".


Em agosto do ano passado, a Team Spooky tinha falado sobre os 10 supostos novos lutadores do Super Street Fighter IV. Depois de algum tempo, foi confirmada a lista dos novos lutadores, assim mostrando que a Team Spooky estava totalmente certa. E tomara que ela também esteja certa sobre o novo "Marvel vs Capcom", pois se ela estiver com certeza ela deixará muitas pessoas fanáticas por jogos de luta do estilo arcade felizes!


Obs: Além da Team Spooky falar sobre esse tal rumor, ela também disse que Super Street Fighter IV também vai aparecer nos PC'S. Para quem não sabe, o Super Street Fighter IV está confirmado só para Xbox 360 e PS3.


Fãs de Survival Horror, preparem seus bolsos, porque um novo Silent Hill pode está vindo aí!

Segundo o site Eurogamer, a Konami confirmou que está preparando mais um "Silent Hill" para os consoles da Sony e Microsoft. E a Eurogamer publicou ainda mais. Ela disse que o jogo foi confirmado em um evento que ocorreu em Frankfurt, uma cidade alemã.

Especula-se que o jogo será anunciado na E3 de Los Angeles, que acontecerá nesse ano no mês de julho, nos dias entre 15 e 17. O ultimo jogo da série lançado foi "Silent Hill: Shattered Memories", que é um remake do primeiro jogo intitulado apenas de "Silent Hill".



E é isso pessoal. São notícias curtas mas que são bem interessantes. Comentem pois assim podemos saber a opinião de outras pessoas. Se eu souber de mais uma notícia quentíssima, podem aguardar por mais um post amanhã!

Até mais!

Especial: Video Games VS. Religião

Hey pessoal! Tudo certo com vocês?

Primeiramente peço desculpas por não ter postado muita coisa recentemente. Meu horário de serviço mudou, e a organização do meu tempo ainda está uma bagunça.
De qualquer forma, venho trazer o tão prometido especial, que há muito eu pretendia trazer. Após mudar de idéia sobre o tema, decidi postar sobre um assunto que é bem interessante. Sem mais delongas, vamos lá:


----------------------------------------------------------

Especial: Video Games VS. Religião





Tive a idéia de fazer uma coluna sobre este tema durante o feriado de Páscoa. Vou explicar o porquê.

Neste feriado prolongado que passou, viajei com minha família para uma chácara, para comemorar a Páscoa. E sabem como é, feriado, parentes, crianças... Como todo bom gamer, não pude deixar de levar meu Nintendo DS, preparado para enfrentar as horas de tédio que prometiam seguir.

Um viva aos portáteis, que nos salvam em tantas viagens de família ou festa de parentes chatos!

Acontece que alguns parentes da minha família freqüentam uma dessas igrejas que pregam que video games, animes, mangás, desenhos e afins não são coisas cristãs. Por mais que isso possa parecer um absurdo para alguns de nós, este tipo de condenação é muito comum no meio religioso.

Enfim, voltando à viagem, a soma de DS+Religiosos me causou umas situações um tanto quanto desconfortáveis.

Bastava me ver com o DS na mão, junto com meu recém adquirido Pokémon SoulSilver (que é muito bom, diga-se de passagem!) que uma das crianças passava e proclamava a frase que eu mais ouvi durante os quatro dias do feriado: "Pokémon não é de Jesus!"

Admito que até achei engraçado ouvir isso, ri por dentro nas primeiras cinco vezes. Mas nas quinhentas e sessenta vezes seguintes, isso começou a me causar um desconforto imenso, até que eu desisti e fui jogar Banco Imobiliário.

Deixando minha historinha de lado, quero parar com vocês para refletir um instante.

Primeiramente, não estou aqui para condenar a opção religiosa de ninguém, muito pelo contrário, respeito e muito qualquer que seja essa opção, sou contra preconceitos e acho que cada um tem o direito de acreditar no que bem entender, desde que seja feliz com isso. Porém, exijo que este respeito seja mútuo pois, assim como eu respeito a crença dos outros, quero que esses mesmos "outros" respeitem a minha.

Esta coluna não visa criticar de forma alguma a religião em si, pois eu mesmo nem sei ao certo qual é a religião que estes meus parentes seguem, mas sim mostrar minha indignação com o fato de eu ser obrigado a ouvir uma criança que não tem mais do que 5 anos de idade me dizer que Pokémon é coisa do capeta.


Em primeiro lugar, isto demonstra, indiscutivelmente, uma ignorância tremenda por parte dos pais. Sim, pois a criança não veio com essa idéia sozinha, até mesmo porque uma criança não tem nem a capacidade de diferenciar algo "de Deus" e algo "do Diabo". Esse conceito foi implementado na cabeça dela, provavelmente pelos pais. E quero deixar claro que não penso assim simplesmente por se tratar de Pokémon, mas digo pela cultura em geral, pois não é apenas "Pokémon" que é coisa do tinhoso, mas Zelda, Bakugan, Naruto (exemplos que eu ouvi durante a viagem), enfim, diversas outras coisas também são entendidas como diabólicas para estas pessoas.
Agora vamos parar e analisar: O que todos estes exemplos tem em comum?

Exatamente, os três são provenientes da cultura oriental, mais precisamente, da cultura japonesa.

Uma coisa que eu já percebi ao longo da minha vida como gamer, otaku e afins, é que a cultura japonesa é vista pelas pessoas como, na melhor das classificações, "coisa de outro mundo" ou "coisa de doido". E é aí que vemos o incrível preconceito que as pessoas têm com tudo e todos que possuem uma visão de mundo diferente da sua.

Obviamente, a cultura japonesa é infinitamente diferente da nossa, o que causa estranheza em muitos. Até aí nenhum problema, mas as complicações começam a aparecer quando as pessoas tratam essa cultura diferente como algo errado ou "do capeta", como na situação citada anteriormente.

Sinceramente, isso não demonstra nada além de ignorância e preconceito. Gostaria de entender o que faz estes religiosos fanáticos pensarem que eles são superiores a essas pessoas simplesmente por elas não terem o mesmo credo ou possuírem culturas completamente diferentes.

Religião é uma coisa muito boa, mas, assim como tudo na vida, nas medidas certas. Como nossas mães já cansaram de nos ensinar, "tudo que é demais faz mal", e com religião não é diferente. Assim como passar horas na frente da TV ou do vídeo game pode trazer problemas sérios aos seus olhos, fanatismo religioso pode trazer sérios problemas à sua mente. Você fica restrito a esse mundinho, com a mente fechada à culturas diferentes da sua.

E o problema se torna ainda mais grave quando falamos de uma criança, pois esta não é uma opção que ela fez, e quando ela se der conta de como isso é sem sentido (se um dia ela chegar a se dar conta disso, claro), talvez já seja tarde demais. Sua infância toda já foi perdida, e enquanto seus colegas de escola jogavam video game, batiam figurinhas do novo álbum do "insira-nome-do-anime-comercial-do-momento-aqui" e conversavam sobre o último episódio da trigésima quarta temporada de Pokémon, ele simplesmente ficou de lado olhando e tentando entender por quê ele não pode gostar daquilo.

Voltando agora para a minha história, se você achava que a hipocrisia e a falta de noção haviam acabados, esqueça, pois tem mais.

Muito me surpreendeu o fato de um dos pivetinhos que abominavam Pokémon também ter um DS, mais precisamente um DSi. Como se não bastasse, enquanto jogava Kirby, após o outro garoto dizer que aquele jogo "não era de Jesus", ele retruca: "Esse é sim! Olha como ele é bonitinho!"

Exatamente. Como se não bastasse a hipocrisia em condenar algo apenas por ser diferente, exceções são abertas para as coisas que lhes agradam. Vai entender...

Enfim, a intenção dessa postagem não é fazer com que vocês religiosos que lerem isso abandonem totalmente a religião, longe disso, mas sim pelo menos fazer com que reflitam um pouco sobre esses atos.

Vale lembrar novamente que a cultura japonesa é totalmente diferente da nossa, não é baseada nos mesmos princípios, não possui a mesma culinária e principalmente, não partilha da mesma religião. Mas, apesar de tudo isso, não é superior e nem inferior à nossa, apenas diferente.

E como aprendemos na escola, não devemos condenar o outro simplesmente por ser diferente.

Aliás, não devemos nem condenar os outros, como a própria bíblia nos ensina!


Enfim, o post acabou não saindo tão grande como eu imaginava, mas tudo bem. Acho que me expressei bem sobre o tema.

De qualquer maneira, só queria partilhar essa opinião minha com vocês. Se concordam, descordam, querem elogiar o texto, compartilhar experiências, deixar um recado, pedir dinheiro emprestado, me xingar, enfim, comentem! A opinião de vocês é sempre bem vinda!

Na falta de imagens com mais relação com o tema, ilustrei o post com alguns artworks legais do remake de Final Fantasy III para DS, pois é um jogo que eu estou jogando bastante ultimamente. Enfim, pode não ter muito a ver, mas quem liga?

See ya!

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Review: Dragonology (NDS)

Review: Dragonology (2009, Nintendo DS)


Uma coisa que tenho percebido ao longo dos meus anos como gamer é que são pouquíssimos os jogadores que dão valor para os jogos "B" (ou assim como nos filmes, o jogo de baixo orçamento) e muito menos os "C" (que além de baixo orçamento não possui nenhuma divulgação e nenhum grande produtor, as vezes produzidos em "empresas" com o tamanho de um quarto). E o mais incrível é que temos jogos muito bons, muito mesmo, escondidos. Um exemplo disto é o Nintendo DS que tem quase cinco mil títulos (que retirando os jogos de "animais" - "Me and my Poney" por exemplo, temos quase dois mil e quinhentos jogos "jogáveis", sendo que dois mil destes são desconhecidos pelo publico em geral).

Dito isto vou falar de um jogo considerado "C" em minha opinião: "Dragonology", um jogo que saiu em 2009 para DS e Wii e que provavelmente nem 5% dos gamers que possuem o console chegaram a jogá-lo. Mas como gosto de jogar algo alternativo de vez em quando e ainda mais um jogo sobre dragões baseado em uma série de sucesso de livros infantis sobre o assunto. Peguei o jogo sem compromisso para passar por alguma boas ou péssimas horas.

O enredo do jogo é extremamente simples, o que é conveniente pois estamos falando de um jogo direcionado para crianças de até oito anos. Você entra no papel de um arqueólogo jovem sedento por aventuras e relíquias vindas de dragões, o problema é que durante suas explorações alguns dragões de verdade começam a aparecer e te atacar! E além dos dragões te atacando ao longo da sua jornada para escavar os “restos mortais” das criaturas, existem também os animais selvagens (como ursos, tigres, águias...) e condições térmicas que podem te causar uma grande quantidade de dano e te levar facilmente ao game over. Um enredo simples mas agradável e divertido para muitos.

Os gráficos são aceitáveis, algumas partes são bem interessantes (como os diversos tipos de dragões que possuem estilos e colorações diferentes dependendo de cada região; Por exemplo um dragão do norte terá uma coloração mais azulada – demonstrando a neve – enquanto um dragão do sul vai apresentar cores em um tom de verde e vermelho – florestas e o calor -).

Na parte do mapa – exploração/dungeons – o gráfico também colabora bastante, tendo o mesmo nível dos dragões – no sul vamos ter florestas e um clima mais seco, enquanto no norte teremos neve - , a localidade alem de influir nos tipos de dragão, também influi nos inimigos encontrados aleatoriamente, que vão variar entre tigres e ursos polares –citando mais um vez o exemplo do sul e norte -. Os gráficos do personagens que possuem apenas uma “skin” são simples e pouco explorados, um ponto negativo para a parte visual do jogo.

A cidade também é bem feita e vemos o gráfico com uma visão “meio” panorâmica (como no modo de escolher as fases de “Donkey Kong” e/ou “Super Mario Bros”). Ao escolher o local para onde quer visitar você é direcionado para a parte escolhida, que podem ser: Um museu (que mostra tudo o que você “escavou”, itens raros encontrados durante suas explorações, detalhes dos dragões vistos e capturados); Uma “vendinha” onde compramos os equipamentos fundamentais durante as explorações (como comida para distrair os animais aleatórios, gaiolas para os dragões, câmeras fotográficas...) e uma loja de alquimia, onde você mistura alguns ingredientes encontrados nos mapas para formar poções para recuperar o HP ou até para sobreviver em certas áreas geladas, e tudo é comprado através da moeda corrente no jogo, os diamantes e pedras preciosas que são facilmente encontratos por todos os mapas (tanto de exploração como na própria cidade, e até mesmo dentro das lojas em raras ocasiões).

A jogabilidade mesmo simples funciona muito bem, voce pode mover seu personagem tanto pelas setas quanto pela Stylus, o que se repete na maioria das funções.

O jogo gira em torno de “mini games”, por exemplo: Para retirar vestígios de uma pegada você seleciona a pegada na dungeon (que vai aparecer nitidamente junto com as outras pistas) e automaticamente você vai para uma tela onde terá que modelar a pegada com um molde comprado na loja. Para explorar o detalhe de uma garra, por exemplo, é usado uma lupa guiada pela stylus e desviando de pequenos insetos e flores se consegue a identificação, e assim o jogo vai seguindo até o aparecimento do dragão da respectiva área em que se esta jogando.

Ao encontrar com o dragão você será novamente direcionado para uma tela onde uma pequena “cutscene” do dragão ira aparecer revelando não só quem esta te atacando como o nome do sujeito. Após a cena o jogo te direciona para mais uma tela de minigame, desta vez para a captura ou defesa do dragão. Estes minigames variam desde uma roleta – onde a sorte manda e escolhas “sábias” terão de ser tomadas para o tempo não acabar – até um teclado musical onde o objetivo é acertar as notas na ordem correta em que o jogo lhe indicar. Todos os minigames são simples e na maioria das vezes fáceis, mais uma vez cumprindo com sua obrigação de jogo direcionado para crianças.

O som do jogo não é nada grandioso mas também não chega a ser ruim. Como a diversidade de personagens, lugares e “inimigos” é relativamente baixa e as dublagens são pouco utilizadas, o som disponível já é suficiente, talvez os efeitos sonoros que mereçam maior destaque são os “rugidos” dos dragões que levariam muitas crianças a loucura!

O ultimo ponto de destaque que merece ser citado é o museu da cidade, onde é possível visualizar a qualquer instante (em que seu personagem se encontra na cidade) todos os colecionáveis adquiridos durante as missões - alem das já citadas informações dos dragões. E para os marmanjos, o jogo ainda mostra a porcentagem total de status concluído (um ótimo incentivo para os “platinadores” de jogos)

Dragonology é uma boa opção para passar algumas horas se divertindo principalmente acompanhado daquele seu sobrinho pequeno ou quem sabe até de seu filho, um bom relaxante que pode ser desfrutado após algumas partidas frustrantes de um jogo mais hardcore. Toda a diversão envolvida em um jogo com uma simplicidade que um jogo infantil deve ter.



Avaliação:
Gráficos: 5
Jogabilidade: 9
Som: 6
Diversão: 8
Replay: 7
Enredo: 4
-
Nota final: 6,5
-
Comentário final: Nota bem basica mas para um jogo infantil e principalmente para um jogo "C" a nota está aceitável, recomendo para a molecada de 8 anos que não está lendo este post!


Pontos fortes: Diversão muito grande para o público infantil, ideal para pais jogarem com seus filhos, ou tios com os sobrinhos, avós com netos...

Pontos fracos: Talvez o ponto fraco é ser um jogo tão infantil que vai tirar muito marmanjo do sério, mesmo cumprindo seu objetivo a limitação gráfica e a limitação do enredo atrapalham os mais "hardcore"

Vídeo:

terça-feira, 6 de abril de 2010

Notícia: Novo NBA Jam para Wii

Um clássico das antigas vai ressurgir. A série NBA Jam, famosa nos arcades e nos consoles como Mega Drive e Super Nintendo, está voltando para os consoles, ou melhor, para um único console: o Nintendo Wii!

O jogo até poderia ser um jogo comum de basquete, isso se não fosse pela inexistência das regras. Vale desde empurrões até enterradas que desafiam a gravidade e que acabam até quebrando a cesta. O sistema do jogo era simples: existiam a conferencia West e a conferencia East, sendo que cada conferencia tinham seus próprios times. Cada time era composto por 2 jogadores, ou seja, o jogo era 2x2 em um jogo onde vale tudo.

Como as regras não existiam no jogo, logicamente que o jogo se torna muito rápido, tendo uma pausa de aproximadamente um segundo apenas quando alguém faz algum ponto. O jogo tem 4 turnos de 3 minutos cada. A jogabilidade é bastante simples e na primeira partida que você jogar, já poderá ter uma boa noção e até já se tornar um craque!

O jogo é extremamente divertido. Eu mesmo tenho ele no meu emulador de Arcade e jogo sempre que possível. Uma coisa que eu acho muito legal é que a dificuldade do jogo é muito boa. Dificilmente você conseguirá ganhar um jogo tranquilamente tendo 10 pontos a mais que o adversário. Mesmo que você tenha uma vantagem sobre a equipe adversária, pode ter certeza que eles irão "apelar" muito para chegar em você no quesito placar. Com isso, o jogo sempre será emocionante. Tem vezes que no ultimo segundo do jogo, você leva uma cesta de 3 pontos do meio da quadra ou de até mais longe.

Agora, chega de papo que eu já falei demais sobre o clássico NBA Jam e vejam o vídeo mostrando a gameplay:



Agora, vamos para o assunto principal que é o ressurgimento da série no Nintendo Wii.

Sem que ninguém estivesse esperando, a EA Sports comprou os direitos autorais da série que pertencia a Midway e agora está fazendo um novo NBA Jam que, pelo o que tudo indica, está sendo feito em cima do clássico e que terá a mesma mecânica. Segue o vídeo do Trailer:




Vendo o vídeo, eu acho que ele será idêntico ao clássico, tirando os gráficos e a possibilidade de usar o Wii Remote e o Controle Clássico do Wii. Mas, se for mesmo idêntico ao clássico, com certeza será um jogo pra lá de divertido. Só que ainda não podemos nos precipitar, até porque o jogo ainda não foi lançado. O jeito é esperar o lançamento e correr para as lojas!

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Notícia: Final Fantasy IX na PSN

Fala pessoal, tudo tranquilo?

Tenho uma notícia que quem é fã de RPG e possui um PlayStation 3, com certeza irá gostar. O presidente da Square Fenix, Yôichi Wada, publicou uma mensagem em seu Twitter, dizendo que o RPG "Final Fantasy IX" futuramente poderá ser baixado pela PlayStation Network (serviço online do PlayStation 3).

Shinji Hashimoto, produtor da Square Fenix, quis saber a opinião do público sobre o jogo ser lançado para download. Como era de se esperar, a reação dos jogadores foram excelentes.

O jogo foi lançado pela primeira vez para o primeiro PlayStation em 2000. O jogador encara a aventura na pele de Zidane Tribal, um guerreiro de apenas 16 anos. Esse não é o primeiro jogo da série "Final Fantasy" que vai para o PS3. "Final Fantasy VII" e "Final Fantasy VIII" já estão disponíveis na PSN. Ainda não se sabe quando Final Fantasy IX chegará na PSN e nem quanto custará.

quarta-feira, 31 de março de 2010

Notícia: Novos trailers

E aí pessoal, tudo bem?

Ontem eu fui no primeiro dia do evento 6º Troféu Game World, que aconteceu em São Paulo, então aguardem pois logo logo trarei uma cobertura exclusiva do evento, além de algo muito especial!

Enquanto isso, uma notícia rápida; um novo trailer de Super Mario Galaxy 2 e Metroid: Other M, revelados essa semana.

Confiram:


Super Mario Galaxy 2


Como podemos ver, o jogo revela um novo Power Up para Mario, além de mostrar o novo sistema de seleção de fases, agora sem o Hub World. Podemos ver também algumas cenas com Yoshi, além do visual incrível do game.

Metroid: Other M


Finalmente, temos um vídeo com cenas de gameplay consistente, mostrando também como funcionarão os controles do jogo. Além dos gráficos lindos, é possível perceber que, apesar da maior parte do jogo se passar em um estilo 2.5D (gráficos 3D mas com progressão lateral), é possível alternar para o modo primeira pessoa a qualquer momento, além da cãmera se localizar no ombro de Samus em alguns momentos, como em Resident Evil 4 e 5, e termos cenas em que a câmera se localiza atrás, um pouco mais distante.

De qualquer maneira, são dois jogos incríveis, que vão ser lançados logo! Lembrando que Galaxy 2 tem data marcada para maio, enquanto Metroid promete aparecer em junho.

Sem mais por hora, aguardem pois em breve trarei a matéria do evento, novamente lembrando que ela trará algo muito legal junto!

See ya!

sábado, 27 de março de 2010

Notícia: Mais algumas informações sobre Monster Hunter Tri!

Pois é, a Capcom continua revelando várias novidades deste novo game que promete ser um sucesso.

Vários vídeos foram adicionados, alguns de gameplay e outros são simples vídeos promocionais e virais com aquele ator que já conquistou uma legião de fãs pelo bom humor de seus comerciais.

Outra novidade é que a Capcom anunciou que o títulos não usará o sistema de Friend Codes da Nintendo, pois, por possuir um servidor próprio da Capcom, fará uso de um sistema chamado Capcom IDs.

Os Cpacom IDs são formador por seis números, e servirão para identificar os jogadores no modo On-line do game.

Confira abaixo alguns vídeos:


Monster Hunter Tri - Drive Thru (viral)



Monster Hunter Tri - Barroth Ecology (promocional)



Monster Hunter Tri - Mammoth



Monster Hunter Tri - Gobul Ecology (promocional)


Para conferir o canal de vídeos do jogo no YouTube, basta clicar aqui.

Confira também algumas artworks liberadas no site Capcom Unity:











Para conferir ainda mais artworks, vídeos, e muito mais informações, basta clicar nas fontes.

Lembrando que no vídeo dos mamutes, as cenas que aparecem são do próprio jogo, o que mostra que o game tem um visual incrível para os padrões do Wii.

Bom gente, não sei quanto a vocês, mas eu estou muito ancioso por este game! E estes vídeos promocionais só ajudam...

Ah, e só para vocês não esquecerem, o jogo vai ser lançado dia 20 de Abril.

É isso por enquanto, até mais!

Fontes:
Canal de 'monsterhunter' no YouTube
Capcom Unity

See ya!

Notícia: Hitman 5 pode estar a caminho

Pra quem é fã de jogos estilo stealth, essa notícia com certeza irá animar o dia desses jogadores!
No site da Gametrailers, rolou um vídeo sobre um possível Hitman 5. O vídeo mostra uma cena de alguem sendo assassinado, mas a cena acontece de trás para a frente e em câmera lenta. Vejam o vídeo:




Como vocês podem ver, o final revela que o assassino é o nosso conhecido amigo Agente 47, e também é nos revelado o número 615, que após alguns segundos se torna 6 - 15. Pra quem não sabe, nos E.U.A eles colocam a data da seguinte forma: mm/dd/aa. Sabendo disso, com 6 - 15 podemos formar a data 15 de junho, dia que vai ocorrer a próxima E3. Então pessoal, podem esperar por mais assassinatos silenciosos do Agente 47 no seu vídeo game. Pelo o que tudo indica, o vídeo vazou da produtora IO Interactive e foi parar na rede.

quinta-feira, 25 de março de 2010

OFF: Despedida

Fala pessoal, tudo beleza?

É difícil eu sei, mas vim para me despedir, mas espero voltar daqui um tempo. Sairei porque utimamente estou sem tempo, e sei que um blog de games precisa de atualizações frequentes, por isso resolvi sair, mas quem sabe daqui um tempo eu volte. Gostaria de deixar um muito obrigado por todos que acompanharam o blog até hoje e pedir para que continuem acompanhando. Vou dar também boas vindas aos novos integrantes do blog e desejar uma boa sorte a todos, e pelo que eu li os caras escrevem bem e vão fazer sucesso, pode apostar!
Desde já agradeço à vocês, e quem sabe até algum dia :]

R.A.P.hael

quarta-feira, 24 de março de 2010

Curiosidade: Esfaqueado por usar cheat!

Todo mundo sabe que o uso de cheats nem sempre é bom, e que eles podem resultar em banimentos e coisas do tipo, mas dessa vez foi mais sério.

Em Jilin, uma província da China, aconteceu algo um tanto quanto maluco no dia 16 de Março. Um jogador de 17 anos que usou um cheat que possibilita ver através das paredes acabou se dando muito mal. Tudo começou com uma discussão em um cybercafé entre o garoto de 17 anos e mais um jogador. O resultado disso tudo foi o jovem de 17 anos parando no hospital com uma faca na cabeça.

Os médicos disseram que, por sorte, a faca não acertou as artérias mais importante, coisa que se acontecesse poderia causar uma hemorragia na vítima. Após 10 horas de cirurgia, a faca foi retirada do crânio do rapaz, mas mesmo assim, ele continua em repouso no hospital e em observação.

Essa não foi a primeira vez que acontece algo desse tipo. Aqui mesmo no Brasil, ocorreu um assassinato por causa do jogo Tibia! O jogador Gabriel Kuhn, de apenas 12 anos, foi esquartejado por um " amigo " que jogava Tibia junto com ele.

Minhas palavras finais: Acontecimentos desse tipo só dão mais motivos para pessoas toscas criticarem os games mesmo sem saber sobre o mesmo. Por isso sempre tem aquele carinha que fala: "Jogos eletronicos são super violentos!" ou "Não jogue este jogo porque ele faz uma lavagem cerebral na pessoa que a pessoa até se torna violenta". E posso dizer isto porque já ouvi muito essas frases, sendo que as pessoas que me falaram isso nem são meus familiares. Então galera, nunca dêem motivos para esses desinformados criticarem, e se criticarem os games, nem ligue pois pode saber que essa pessoa não tem um pingo de informação. Também nunca usem cheats porque você pode acabar morto. As chances são poucas mas, do jeito que tem pessoas totalmente crazy's nesse mundo, é possível. E, além do mais, cheats são para perdedores! :D

[ATUALIZADO] Notícia: Nintendo anuncia sucessor do DS!

É exatamente isso. Finalmente, a Nintendo anunciou o sucessor do seu "pequeno notável", o portátil que já ultrapassou 125 milhões de unidades vendidas no mundo, sendo 30 milhões delas apenas no Japão, desde que seu primeiro modelo foi lançado em 2004.

Divulgado em um press release disponível em seu site, a Nintendo anunciou sua nova geração de portáteis, cujo nome provisório é 3DS, e deverá ser lançado até o mês de março de 2011.

E, sem dúvidas, o portátil já se mostrou inovador. Segundo a empresa, o novo modelo é capaz de gerar gráficos em terceira dimensão sem a necessidade de óculos especiais.

Foi confirmado ainda que o 3DS terá retrocompatibilidade total com os jogos de DS e DSi, o que nos faz acreditar que o portátil irá manter as câmeras e o sistema de downloads do DSi.

A Nintendo ainda anunciou que este novo modelo estará presente na E3, e de forma jogável. A feira deve ocorrer em junho, em Los Angeles, USA. Isso significa que o portátil está num nível de desenvolvimento bem avançado.

Para finalizar, o jornal japonês Nikkei afirma já ter posto as mãos nos protótipos, e diz que o portátil conta ainda com um direcional analógico, suporte ao rumble de fábrica e além disso a Nintendo ainda está estudando a possibilidade de adicionar um acelerômetro de dois eixos.

O jornal ainda afirma que o 3DS possui duas telas com menos de 4 polegadas (portanto, menores do que a do DSI XL, que possuem 4,2''), uma conexão wireless aprimorada e uma bateria com maior duração.

Além dessas confirmações oficiais e dados fornecidos pelo jornal, os fãs especulam que o novo portátil terá ainda mais características, como um poder gráfico semelahnte ao do GameCube, e as telas terão função multi-toque, como o iPhone, entre outros boatos. Porém, até o momento, não passa de rumor.

Além disso, ouso dizer que a patente do novo cartucho de DS anunciado alguns posts abaixo provavelmente se trata da mídia do 3DS.

Pois é, se você adquiriu um DSi ou DSi XL recentemente, pode começar a derramar as lágrimas...

Eu particularmente torço para que os rumores a respeito dos gráficos de GameCube sejam verdade, pois isso é absolutamente plausível, sendo que o próprio DS já possúi um gráfico ligeiramente superior ao Nintendo 64, e o PSP tem um gáfico semelhante ao PlayStation 2. Quanto ao direcional analógico, eu me mantenho meio receoso, pois como sabemos, o analógico do PSP não é algo que podemos definir como bom. Mas, se tratanto da Nintendo, só podemos tirar conclusões vendo mesmo.

Porém, como a Nintendo afirmou pretender lançar seu próximo portátil até março do ano que vem, é bem possível que o DS atual não seja deixado de lado (ainda), já que há muitos jogos que prometem ser lançados até o fim desse ano, como a quinta geração de Pokémon. Ou será que a Nintendo vai nos surpreender novamente?

Ah E3, você parece tão distante agora!

Bom pessoal, é isso. A E3 desse ano promete hein? 3DS, Zelda Wii... Gostaram o DS novo? Acreditam que vai dar certo? Quais suas espectativas para os jogos novos? Comentem!


Atualizado:

Algumas pessoas estão especulando que o "gráfico 3D" do novo portátil funcionará mais ou menos assim:



Eu, particularmente, acho que vai ser algo bem mais sofisticado. Enfim, novamente não passa de especulação, provavelmente vamos ter que esperar até a E3 para saber ao certo.


Fontes:
NeoGAF
Nintendo
YouTube

See ya!

segunda-feira, 22 de março de 2010

OFF: Despedida

Fala galera, tudo beleza?

Venho trazer uma triste notícia (pelo menos para mim) .Estou me retirando temporariamente do blog, infelizmente estou muito sem tempo para postar reviews ou notícias, então, achei injusto ficar ocupando o lugar de uma outra pessoa que possa fazer um trabalho melhor que o meu.

Estou enfrentando um período turbulento, mas, penso em voltar ao blog com certeza quando esse perídodo acabar, pois, adoro postar reviews e notícias para vocês.

Peço desculpas pelo tempo que fiquei sem postar sem nenhuma explicação, foi realmente um falha minha não ter feito um post de explicação.

Continuarei acessando o blog e comentando os posts dos meus parceiros e novos membros que entraram (não pensem que vão se livrar de mim tão facilmente) No mais, aguardem minha volta, e espero que todos me recebam prazerosamente de volta daqui a um tempo.

Agradecimentos especiais ao Doofie pela compreensão.

Até a próxima galera, se cuidem.

e lembrem-se, não aprontem, pois, eu estarei de olho :]

Especial: Coluna do Sky: Porque o céu é o limite!

Então amigos, essa é a minha primeira postagem fora a apresentação, e confesso que escolhi um tema meio polêmico para falar, mas gosto de falar dele, porquê só assim para alguns tentarem se mobilizar...



Os Games e seus Impostos


Ok.... todos estão cansados de saber que aqui no Brasil, jogo é quase um artigo de luxo e que sua compra frequente é algo para poucos. Mas por quê? "Os altos impostos do governo, óbvio!" Sim, mas vou além, e digo que o governo tem apenas uma parcela de culpa por isso. "Os gamers brasileiros, que consumem a pirataria, impossibilitando o mercado de crescer." Sim, mas isso é uma consequência dos altos impostos, não a inteira causa. Ouso afirmar que as maiores culpadas pelos altos impostos no Brasil são as produtores de game! Isso mesmo, pode parecer banal, mas não. Quem acompanha o mercado de jogos por outros lugares, sabe que as produtoras adoram usar a mesma ladainha de sempre: " O Brasil é um mercado em potencial, iremos investir nele..." Investir em que sentido?! A fábrica da Ubisoft por exemplo?! Aquela que até agora de nada serviu para a população, mas sim para vantagem própria, pegando nossos melhores profissionais para trabalhar em assunto tecnológico? A Nintendo, que vem fazendo uma pequena campanha no Brasil através da Latamel, cheia de comercial? Cadê o interesse em diminuir o preço dos seus consoles/games?! Aqui game só barateia quando velho, mas nem todos, franquias consagradas mamtém o preço. A Microsoft... nem sei que nome é esse na área de games brasileira, aliás, nem sei o que é Live.... E a Sony, que diz que veio para o Brasil... Veio fazer PLAYSTATION 2, na Zona Franca de Manaus, onde os impostos quase não existem. E eu pergunto, PlayStation 2 para quê?! Se ela sabe que no Brasil tem tanta pirataria quando ladrão, ela deve no mínimo supor que o PlayStation 2 aqui é um dos consoles que mais se têm. Para quê fingir ser uma inocente e tentar "ajudar" o Brasil produzindo PLAYSTATION 2?! Ela quer mesmo é beneficio de impostos, o mercado brasileiro em si ela não deve nem sabe o que é... As empresas fingem estar no Brasil, pois não há interesse algum em tentar diminuir os impostos. Ok, tem aquele esforço mínimo, mas isso não é o bastante, a burocracia é tanta que para supri-la, o esforço tem que ser dobrado! O investimento no Brasil chega a ser ridículo. Estamos com empresas de games no Brasil há bastante tempo, mas mesmo assim nada mudou. A própria Latamel já vem trabalhando com a Nintendo faz tempo, começo a achar que essa história de burocracia é apenas uma desculpa para não diminuir os impostos. O preço NÃO diminui!
A falta de comprometimento das empresas, com uma cabeça velha e fechada dos políticos brasileiros é que resulta nisso, não adianta culpar exclusivamente os políticos não. Culpe a sua empresinha queridinha pela falta de interesse, culpe você pela sua falta de atitute nisso, e começe a agir, se não, o mercado brasileiro (assim como o Brasil TODO) vai ficar só na esperança de ser uma potência, e vai continuar na merd*...


YES, WE HAVE BANANAS! And money....

Perdoem os erros de português, estou indo para o tênis, e tenho que me apressar, não pude fazer uma revisão 100%...
Gostou? Odiou? Quer elogiar minha mãe? Comente que eu olho =)